P U B L I C I D A D E

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

COMANDO DA POLÍCIA MILITAR DESCARTA GREVE DOS POLICIAIS

Apesar da mobilização de PMs para interromper as atividades, Comando da Polícia Militar envia nota alegando não trabalhar com a hipótese de uma paralisação e reforça ser proibida greve entre policiais militares.


Natalia Emerich 
 
Policiais militares do Distrito Federal continuam a movimentação para uma possível paralisação em 15 de fevereiro, às vésperas do carnaval. Apesar da ameaça de motim, o Comando da Polícia Militar não trabalha com a hipótese de paralisação e enfatiza que os policiais são proibidos de cruzar os braços. No domingo (5), a categoria divulgou uma carta aberta à sociedade e pediu apoio da população, o que será bem difícil diante da onda de violência que se instalou em Salvador (BA) por causa da greve dos policiais baianos.
Em nota enviada nesta segunda-feira (6), o Comando da Corporação afirmou que acompanha o movimento que reivindica aumento de salário pela internet e reforça que a assembleia geral, marcada para o dia 15 de fevereiro, na Praça do Relógio, em Taguatinga, é um direito amparado pela Constituição Federal aos policiais que estiverem de folga. “Ao policial militar é proibida a greve. Os policiais do Distrito Federal são os mais bem preparados e têm ciência desta proibição, portanto o comando da corporação não trabalha com a hipótese de paralisação e acredita que a situação será resolvida de maneira pacífica e ordeira”, diz trecho da nota.

A certeza do comando, porém, não reflete as constantes publicações feitas no blog da Associação Rede Democrática da Polícia Militar do DF. No último post, divulgado no domingo (5), policiais e bombeiros fazem um apelo. “Pedimos o apoio a toda a sociedade brasiliense, a qual juramos morrer para defender o que muitos já o fizeram.”

Ainda na publicação de domingo – que deverá ser impressa e distribuída para a comunidade –, o governador Agnelo Queiroz é criticado. “Soldado da Polícia Militar e do Bombeiro Militar deveriam receber um salário justo e digno, que seria 50% da remuneração de um coronel da corporação, em troca de um excelente serviço prestado a sociedade do Distrito Federal. Ao invés disso o senhor governador do Distrito Federal concedeu aumento ao Detran e à Polícia Civil. Para nós, acena com R$ 12 para completar o soldo que ficou abaixo do mínimo. Nossa luta não é política, é por dignidade para nossas famílias.”

Os policiais e os bombeiros exigem reposição salarial de 52%, com base no vencimento do subtenente; reajuste do auxílio alimentação para R$ 800, a mesma quantia paga aos servidores da Câmara Legislativa; auxílio transporte, que está em tramitação na Câmara Legislativa desde 2010, além da gratificação de serviço militar, adicional de inatividade e reajuste por gratificação ao serviço voluntário. Aproximadamente 24 mil militares atuam nas ruas do DF. Os PMs no DF têm os maiores salários do País. Recebem cerca de R$ 4,5 mil.

Caos na Bahia
No último dia de janeiro, parte do efetivo da Polícia Militar baiana cruzou os braços para reivindicar reajuste no plano de carreira e melhores condições de trabalho. Desde então, as ruas da Bahia se tornaram palco de uma grande onda de violência, com roubo em estabelecimentos comerciais, assaltos a mão armada e dezenas de mortes em menos de uma semana.
No dia 3 de fevereiro, homens do Exército desembarcaram na capital baiana para reforçar a segurança na cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário