P U B L I C I D A D E

domingo, 27 de novembro de 2011

BOMBEIRO PERDE A VIDA APÓS A VIATURA QUE DIRIGIA COLIDIR EM ÁRVORE NO EIXÃO

Antonio Temóteo 
Mais uma pessoa perdeu a vida em um acidente de trânsito no Eixão Norte. Ontem, o segundo sargento do Corpo de Bombeiros Regis Leonardo Ferreira de Vasconcelos, 37 anos, dirigia uma viatura que seguia no sentido norte-sul da via, na altura das quadras 105/205, quando perdeu o controle da Nissan Frontier (placa JJU-3131) e bateu em uma árvore. Vasconcelos morreu no local. Outros três militares estavam na caminhonete e foram levados para o Hospital de Base de Brasília (HBB) conscientes e apenas com ferimentos leves. A tragédia ocorreu no mesmo local em que a servidora pública Marina Monteiro de Queiroz Ravazzi, 25 anos, morreu em uma batida entre dois carros no último dia 17.

Segundo o major Silva Neto, supervisor do 4ª Grupamento Bombeiros Militares (Asa Norte), unidade em que Vasconcelos trabalhava, o grupo estava a caminho da 106 Norte para fazer o atendimento de uma criança que havia ficado presa dentro de um automóvel. “O veículo perdeu o controle, atingiu duas placas de sinalização de trânsito, rodou na grama e bateu em uma árvore”, detalhou.

Neto explicou que os próprios colegas acionaram a unidade em que trabalham para comunicar o acidente e, em seguida, tentaram reanimar o colega. “Fui o primeiro a chegar ao local. Ele estava com o abdômen inchado por causa de uma hemorragia interna, havia batido a cabeça e estava inconsciente. É uma perda muito grande para a corporação”, lamentou.

Morador de Sobradinho, Vasconcelos era paraquedista, estava no Corpo de Bombeiros há 18 anos, e já integrou do Batalhão de Busca e Salvamento. Ele não era casado, mas deixou dois filhos.

Rotina
A cada hora, quatro motoristas são flagrados no Eixão em virtude do excesso de velocidade. Entre janeiro e outubro deste ano, 31 mil multas foram aplicadas pelos radares do Departamento de Estradas de Rodagem (DER). O alto índice de condutores que desrespeitam as leis de trânsito é apontado como uma das principais causas de violência na rodovia. Com o acidente de ontem, sete pessoas morreram no Eixão em 2011. Atualmente, 24 pardais vigiam os 80 mil veículos que trafegam diariamente na via. Apesar da forte vigilância eletrônica, até maio, o DER não mantinha agentes ao longo da pista. Em junho, 60 começaram a atuar e o órgão espera convocar, por meio de cadastro de reserva, mais 60 até 2012.

Via expressa com o nome oficial de DF-002 e 13,8km de extensão, o Eixão corta o Plano Piloto de uma ponta à outra. Com três pistas em cada sentido, velocidade máxima permitida de 80km/h, boas condições do asfalto, boa sinalização e nenhum semáforo, ele atrai os motoristas que gostam de correr. Os endereços da morte da via parecem ser iguais em tudo. A diferença é que onde ocorre mais colisões são pontos de maior concentração de veículos, como no fim da Asa Norte e no Km 8 do Eixão Sul, o primeiro no ranking dos acidentes fatais.
Fonte:correiobraziliense.co.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário