P U B L I C I D A D E

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

POLÍCIA DE GOIÁS PROTESTA E MONTA OUTDOOR SOBRE A VIOLÊNCIA EM VALPARAÍSO

Os policiais civis do Entorno, insatisfeitos com a situação de baixos salários e efetivos, além das condições de trabalho, organizaram um protesto que tem como objetivo alertar, tanto a população quanto os governantes sobre a violência no Entorno do DF. Dois outdoors, colocados nas entradas de Valparaíso e Águas Lindas anunciam: "Cuidado! Você está entrando na região mais violenta do planeta, o Entorno do DF".

De acordo com Silveira Alves, presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) no Entorno, a categoria não tem reposição salarial há sete anos. Ele diz ainda que os salários, que deveriam ser corrigidos nos meses de maio, não aumentam desde 2004. "O governo vem empurrado com a barriga. Disse que convocaria os 350 remanescente do último concurso, mas até agora não cumpriu. O que nos preocupa, porque o prazo para os futuros agentes ingressarem no treinamento da academia termina dia 23 de outubro", lamenta Silveira.

Ainda de acordo com o Sipol, seriam necessários no mínimo mil policiais civis para as cidades goianas que circundam o DF, mas este número seria de apenas 390. São 330 para a parte sul, que engloba Luziânia, Valparaíso, Novo Gama, Cidade Ocidental e Cristalina; os 60 restantes estão ao norte do DF, e as principais cidades são Formosa e Planaltina de Goiás. "Se esses novos funcionários fossem contratados, já amenizaria bastante", comenta.

Hoje, o salário inicial de um policial civil goiano é de R$ 2.711, os colegas distritais ganham mais de R$ 7 mil. Delegados recebem R$ 8,6 mil, mas devem ser beneficiados com a aprovação da carreira jurídica para delegado, igualando os salários aos dos procuradores de justiça estaduais, próximo de R$ 16 mil.

O projeto que trata das contratações de novos policiais está sob análise na secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão de Goiás.

O número de homicídios no Entorno é três vezes maior do que a média nacional: são 75 para cada grupo de 100 mil habitantes. O índice médio brasileiro é de 24 para cada 100 mil pessoas.
 Fonte: correiobraziliense.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário